Saltar o Menu
Logo Camara
Selo 2015

Câmara de Vereadores de Passo Fundo/RS

NOTÍCIA

PROJETO DE LEI

Patric e Colussi protocolam PL para uso de aplicativo em estacionamento rotativo

Os condutores que precisam utilizar as vagas no estacionamento rotativo pago em Passo Fundo poderão contar com nova modalidade de cobrança através de aplicativo de celular. Os vereadores Patric Cavalcanti e Rafael Colussi (DEM) protocolaram na Câmara de Vereadores um Projeto de Lei para a criação de um sistema complementar ao atual, em que é preciso inserir moedas nos parquímetros.

Segundo a proposta, após o cadastramento, o usuário poderá adquirir créditos com smartphone, tablet ou similiares, para utilizar quando for necessário, visando tornar o serviço mais ágil e eficiente. De acordo com Patric, o aplicativo permitirá ao usuário controlar o tempo de utilização da vaga do estacionamento rotativo pago, adquirir novos créditos e renovar o tempo de utilização pelo aplicativo, resultando no período máximo de duas horas. “Isso evitará a ocorrência de multas quando excede o tempo do tíquete, uma das principais reclamações dos usuários” destaca.

Colussi explica que esse modelo de cobrança já é utilizado em municípios como Caxias do Sul. De acordo com informações publicadas no site da Prefeitura desta cidade, dados da empresa que gerencia o aplicativo mostram que o pagamento de vagas no estacionamento pelo APP movimentou cerca de R$ 2 mil nos primeiros 30 dias de operação, em outubro de 2016, e passou para pouco mais de R$ 35 mil no mesmo período de 2017. “Uma das vantagens do aplicativo, é não precisar estar junto ao veículo para substituir o tíquete e renovar a permanência. Além disso, o condutor não precisa procurar por moedas e caminhar muitas vezes longas quadras para pagar o tíquete no parquímetro”, afirma Colussi.

O Projeto de Lei que prevê o sistema complementar de cobrança para o estacionamento rotativo pago em Passo Fundo tramita na Câmara, e irá a Plenário para votação em breve, uma vez que ele já foi discutido previamente. As despesas decorrentes desta lei serão custeadas por dotações próprias do orçamento municipal.

 

Foto: Comunicação Social/Câmara de vereadores