Saltar o Menu
Logo Camara
Selo 2015

Câmara de Vereadores de Passo Fundo/RS

NOTÍCIA

FÓRUM DE DEBATES

Encontro discute importância do Junho Vermelho para doação de sangue

Na tarde desta quinta-feira (17), ocorreu nova edição do Fórum de Debates, que é realizado pela Câmara de Vereadores para discutir temas pertinentes com setores da sociedade. Nesta oportunidade, o tema foi a importância da campanha “Junho Vermelho” e seu impacto de conscientização para a doação de sangue na sociedade. A vice-presidente do Legislativo, vereadora Janaína Portella (MDB), coordenou o encontro.

Além de Janaína, participaram da reunião virtual representantes do Executivo, a Secretária Municipal de Saúde, Cristina Pilati, e o secretário adjunto, Luis Schneiders, a chefe do serviço de hemoterapia do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), Cristiane de Araújo, as representantes do Hemocentro de Passo Fundo (HemoPasso), dra. Denise de Almeida, e a coordenadora administrativa da entidade, Claudete Doro, além do vereador Tadeu Trindade (PDT).

Um dos motes da realização desta live é o fato de a pandemia da Covid-19 prosseguir durante esse período de celebração da campanha. Mesmo com os protocolos de distanciamento social devendo ser cumpridos, foi consenso entre os participantes que a iniciativa se faz ainda mais necessária, uma vez que o isolamento social dificulta e desestimula a doação espontânea.

As representantes da hemorede do município apontaram enorme preocupação com a redução nos estoques no atual período de pandemia. Porém, mesmo com a significativa baixa na quantidade de sangue, elas conclamaram a comunidade para que, quem puder colaborar, faça doação de sangue.

Denise relatou que o trabalho do Hemocentro do município prossegue em parte pelas parcerias firmadas com hospitais e outras instituições, endossando o agendamento para doação como ponto importante para o andamento correto do processo. Ela ainda relatou que a entidade passou por fortes dificuldades recentemente, como precariedade de insumos, porém ressaltou que elas vêm sendo superadas devido às parcerias e ações da comunidade. Ela ainda endossou que se deve expandir a informação sobre doação de sangue e a importância da ação para a população, pois é preciso que se cumpram termos para poder doar sangue. “Precisamos reforçar informações para que as pessoas que queiram doar estejam aptas. Pois é frustrante quando recebemos voluntários para doar e se descobre que não podem realizar o ato naquele momento”, pontuou.

Além de aspectos técnicos sobre a doação de sangue, Cristiane de Araújo salientou o aspecto da empatia que as pessoas precisam aprimorar. Segundo ela, as pessoas devem ter uma consciência mais plena sobre o que representa a doação e sangue. “É fundamental que todos se coloquem no lugar de alguém que esteja em situação de necessidade, pois pode haver um caso de alguém na família ou pessoas próximas que podem precisar algum dia”, alertou.

Os representantes do Executivo no encontro partilharam a ideia do reforço da informação junto à população, além do fomento de parcerias para viabilizar ações pró doações. O secretário adjunto de Saúde do Municipio, Luis Schneiders, acrescentou que as ações em conjunto são uma alternativa viável para as doações, além de esperar um posicionamento mais ativo do governo estadual sobre o tema. A secretária municipal de Saúde, Cristina Pilati, além de sublinhar a necessidade de parcerias citando a existente entre a pasta e o HemoPasso, frisou a necessidade de criar uma conscientização sobre a doação de sangue nas crianças, colocando-se à disposição para empreender a ideia. “Precisamos formar uma nova legião de doadores para o futuro. Devemos plantar uma mentalidade altruísta para que as crianças saibam da importância da doação de sangue”, completou.

O vereador Tadeu Trindade (PDT) disse ser doador de sangue regularmente desde 1989, quando servia o Exército. Ele relatou surpresa quando soube que muitas pessoas não têm conhecimento de ações e programas que tratam do incentivo à doação, citando a doação de plaquetas como exemplo. Trindade ainda ressaltou a necessidade de o Legislativo olhar com carinho para o hemocentro e endossar a atenção da comunidade. “É muito importante que todos saibam da relevância dessa ação, pois é um ato de ajuda ao próximo. Temos que incentivar para que mais pessoas participem ativamente para contribuir com quem possa precisar”, afirmou.

A ideia de fomentar uma mentalidade mais aberta nas crianças quanto à doação de sangue ressoou positivamente durante o encontro. Cristiane lembrou que iniciativas similares tiveram impacto positivo, como o Trote Solidário, quando muitos que ingressaram na universidade e que realizaram a ação pela primeira vez tornaram-se doadores frequentes. Já Denise reforçou que os serviços de hemoterapia prezam pela igualdade e as leis sobre o tema resguardarem o direito de a pessoa receber o sangue mais saudável, além de frisar que todos os protocolos são cumpridos para assegurar a doação de um sangue que possa ser aproveitado. Ela ainda citou fatores logísticos e estruturais para endossar a importância do trabalho do hemocentro para o município e região.

Ao final do encontro, Trindade reforçou a importância da parceria entre a secretaria de Saúde e o HemoPasso e o conceito de conscientização das crianças sobre a doação de sangue. “Se conseguirmos fazer as crianças terem esse entendimento, estaremos formando uma geração ainda melhor”, declarou.

A vereadora Janaína sublinhou a participação e contribuição dos participantes com informações esclarecidas durante a reunião, além de reforçar o papel do Legislativo em informar e a representatividade dos vereadores enquanto formadores de opinião. “Cabe a nós manter a cultura da disseminação da cultura da doação de sangue, pois se trata de uma ação de saúde muito importante para muitos que precisam, além de endossar a ciência dentro deste processo contra o negacionismo”, concluiu.

Como posso doar sangue?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece algumas normas para que as pessoas estejam aptas a doar sangue. A pessoa deve estar bem de saúde e ter entre 18 e 69 anos. Segundo a entidade, jovens a partir dos 16 anos já podem doar caso tenham autorização do responsável.

Outras normas como não estar em jejum, ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas, pesar mais de 50 quilos, não ter feito cirurgia de grande porte a menos de seis meses e de pequeno porte a menos de três meses, não ter feito tratamento dentário a menos de sete dias.

Além disso, não estar grávida ou amamentando (mães que amamentam devem aguardar a criança completar 12 meses de vida). Em caso de parto normal, aguardar 3 meses; se cesariana, aguardar 6 meses. Também: Não estar gripado ou ter tido febre nos últimos sete dias. Não ter diabetes, cardiopatia e nem ter contraído hepatite após os onze anos de idade. Caso tenha tomado vacina contra gripe, deve-se aguardar 48 horas. Já as demais vacinas com bactérias/vírus vivos, por exemplo sarampo e febre amarela, deve-se aguardar quatro semanas. Ainda, não ter ingerido álcool nas 12 horas antes da doação. Não ter feito uso de drogas injetáveis ilícitas. Não ter feito piercing, acupuntura ou tatuagem a menos de 12 meses. Não ter feito endoscopia ou colonoscopia nos últimos seis meses.

 Junho Vermelho

A campanha foi criada em 2015 através de iniciativa do movimento “Eu dou sangue”, como uma tentativa de alertar as pessoas a respeito da importância de aumentar o número de doadores de sangue no Brasil. Segundo os idealizadores, foram duas causas que motivaram a criação da campanha: uma delas é por conta do dia 14 deste mês, em que se celebra o Dia Mundial do Doador de Sangue. A outra, é devido aos meses de junho, julho e agosto serem mais frios e, por isso, registrarem uma baixa nos índices de doação nos hemocentros. O fato de este ser um período no qual se inserem as férias escolares, em que mais famílias viajam, também contribui para a baixa nos estoques.

Mesmo com o escopo da data celebrando o ato de doar sangue, a campanha acaba funcionando como um alerta para que doações ocorram o ano todo. Assim, caso não seja possível fazer a coleta de sangue no mês de junho, por exemplo, o importante é que a pessoa se programe para realizar a doação o quanto antes.

Informações

Hemocentro Regional de Passo Fundo

Fone: (54) 3311.5555 ou (54) 3311.1427

E-mail: hemopasso@saude.rs.gov.br ou doadorhemopasso@gmail.com

Horário de funcionamento:

- Para doação de sangue: de segunda a sexta, das 8h às 14h30min, sob agendamento prévio.

- Para cadastro de doador de medula óssea: de segunda a sexta, das 8h às 14h30min sob agendamento prévio.

Serviço de Hemoterapia – Hospital São Vicente de Paulo

Fone: (54) 3316-4087

Horário de funcionamento:

Das 8h às 13h, sem fechar ao meio-dia

Endereço: Rua 15 de novembro, 485 – 5º andar – Passo Fundo/RS.

Arte: Comunicação / CMPF


Galeria de fotos